Combine roupas e evite o desperdício

Combine roupas e evite o desperdício
Combine roupas e evite o desperdício

“Eu não tenho roupa para vestir!” Quantas vezes cada um de nós não pronuncia essa frase, mesmo com um guarda-roupa repleto de opções? Segundo uma pesquisa de uma ONG britânica, publicada em julho de 2012, as famílias inglesas não utilizam cerca de 30% das roupas e acessórios que possuem. E a realidade dos consumidores do Reino Unido não é muito diferente da nossa no Brasil. “Aqui, o consumo com vestuário representa 5,5% do orçamento familiar, porcentagem maior do que o investimento em escolaridade, segundo dados do IBGE. E as mulheres brasileiras, principalmente, mais do que as famílias inglesas, chegam a não usar mais do que 1/3 do guarda-roupa, pois compram peças que nunca serão vestidas ou serão usadas pouquíssimas vezes”, afirma a consultora de moda, imagem e etiqueta, Ana Vaz.

A realizadora da primeira pesquisa, a ONG WRAP – Working Togheter for a World Without Waste (Trabalhando juntos por um mundo sem desperdício), faz um trabalho de incentivo para o consumo consciente e a diminuição do desperdício. No Brasil, é possível que as mulheres também gastem menos com roupas e acessórios ao mesmo tempo em que vistam-se bem, de acordo com a especialista. “As mulheres precisam experimentar mais as possibilidades de montar looks com as peças que já têm no guarda-roupa. Muitas delas gastam mais de R$ 700 em um único look, entre roupas e acessórios. Vale a pena comprar com mais consciência e procurar diversificar o uso das peças adquiridas”, completa Ana.

Sugerimos também:  Brechós virtuais viram febre em redes sociais

Segundo a consultora, “se considerarmos uma composição com parte de cima, de baixo, casaco e sapatos comprados a 150 reais cada, mais cinto e colar a 50 reais cada, e brinco a 30 reais, teremos um total de 730 reais em um único look. O que elas não prestam a atenção é que, com cada peça, é  possível criar pelo menos 3 combinações diferentes”. E faz uma conta interessante: “Se usarmos calças e saias como ponto de partida para criar looks completos, utilizando 10 destas partes de baixo e criando 3 looks distintos com cada uma delas, chegamos a 30 produções diferentes e a uma soma de mais de R$ 20.000 em looks, caso saíssemos para comprar um único look por uma média de R$ 700. É a ideia de ‘comprar’ novos looks usando as velhas peças! Possuímos verdadeiros tesouros em nossos guarda-roupas e não sabemos”, destaca.

“O fast fashion mudou muito o comportamento de compras das mulheres e estamos descartando antes do que deveríamos, damos pouca chance para a roupa. A gente exercita pouco a liberdade, fica presa a muitos paradigmas, o ‘não pode isso, não pode aquilo, se eu fizer isso tá errado’. E existem paradigmas que durante o tempo foram impostos pela moda, mas hoje em dia precisamos levar isso menos a sério, pois senão engessamos tudo o que temos no guarda-roupa e acabamos não usando nada”.

Sugerimos também:  Barriga vazia, comida no lixo

De acordo com Ana Vaz, as mulheres precisam se dar a liberdade de exercitar a moda e não deixar a peça ‘trancada’ numa só produção. “Não há uma técnica de look certo ou errado para todos, mas a mulher que tem um olhar mais livre aproveita mais as roupas do armário. Ela não é obrigada a saber de imediato o motivo pelo qual não usa algo, mas vale analisar as peças, entender seu estilo próprio, se a peça a representa e retirar aquilo que não a faz se sentir bonita. Pode ser uma cor que não favorece o tom de pele ou mesmo um modelo que acaba ressaltando um ponto negativo de seu corpo”, argumenta. “Além de evitar desperdícios, é preciso encontrar a multifuncionalidade das peças, de acordo com o que cai bem no corpo. Isso pode e deve facilitar a vida da mulher moderna, que  é capaz de assumir diversos compromissos ao longo do dia com apenas uma combinação de roupas”, complementa.

Fique de Boa

RESPONDER

Por favor escreva seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui