Estrias em pele morena, como tratar?

Eu cansei de ouvir e repetir que a pele morena é mais propensa a ter estrias do que os outros tons de pele e hoje, esclarecida, estou aqui para dizer que isso É MITO!

As estrias são decorrentes do processo de estiramento da pele e comuns durante a adolescência, gravidez, atividades esportivas de impacto, efeito sanfona, obesidade. Além disso também podem decorrer de uso prolongado de medicamentos a base de corticoesteróides e alterações hormonais.

Homens e mulheres podem adquiri-las independente da cor da pele, basta que sejam expostos aos fatores acima ou tenham predisposição genética para isso.

Na pele negra não é diferente mas as estrias são mais visíveis dada a grande diferença de tonalidade entre as áreas afetadas. Elas podem ser mais claras e em alguns casos mais escuras que o tom da pele sadia.

Daí a impressão de que a pele morena é mais propensa a ter estrias quando na verdade, elas só aparecem mais.

Estrias ilustradas
Estria tem cura?

Podemos dizer que até o encerramento desse post e de acordo com nossas pesquisas, o que existem são tratamentos que podem diminuir a área afetada e melhoram a aparência da pele, mas a lesão não é eliminada.

Prevenção

Prevenir é melhor do que remediar, diz o dito popular e se tratando de estrias essa máxima é verdadeira. A melhor maneira de prevenir o aparecimento das estrias é manter a pele hidratada! Além, é claro, da famosa dupla hábitos saudáveis de alimentação e estilo de vida.

Tratamentos

Antes de iniciar, vale dizer que você deve procurar um dermatologista antes de realizar qualquer tratamento e discutir com ele o que é recomendável para você e assim evitar problemas como quelóides, manchas e também economizar seu suado dinheirinho, ok?

Além disso, os tratamentos são mais eficazes nas estrias avermelhadas (mais recentes), portanto quanto antes iniciá-los, melhor.

Laser fracionado + subcisão

O laser fracionado promove microperfurações na pele, destruindo e aquecendo as fibras de sustentação com o intuito de melhorar a textura e alisar a pele.

Em cerca de 15 dias os hematomas desaparecem e é feita a subcisão (um método cirúrgico ambulatorial). Uma agulha corta e descola a profunda camada da pele, chamada de derme, machucando-a. Dessa maneira a produção de colágeno é estimulada e recupera parcialmente a estria, reduzindo a largura e profundidade da mesma.

Radiofrequência

Ondas disparadas pelo equipamento atingem e aquecem a camada mais profunda da pele, contraindo e aumentando o colágeno, reorganizando os tecidos de sustentação. Isso aproxima as bordas das estrias e as reduz dependendo do caso e tempo de sessões, em até 60%.

Laser fracionado

Feixes de luz são direcionados para a estria e penetram a pouco mais de 1 milímetro de profundidade na pele. A energia do laser estimula a produção de colágeno e elastina, preservando muitas células e acelerando o processo de cicatrização. De acordo com dermatologistas, com uma sessão as linhas melhoram 30% e no final do tratamento a melhora é de 80%.

Peeling de cobre + Intradermoterapia

O peeling provoca uma microesfoliação e estimula a produção de colágeno e elastina e o cobre reage com uma enzima da pele responsável pela produção de melanina fazendo a estria voltar a ter a mesma tonalidade do restante do corpo. Depois, um mix de substâncias para reconstituir e devolver a elasticidade, firmeza e hidratação da pele é injetado. Após cinco sessões a melhora das estrias varia entre 70% e 80%.

Carboxiterapia

Um equipamento injeta gás carbônico no tecido subcutâneo para dilatar os vasos sanguíneos e estimular a formação de colágeno, preenchendo as estrias de dentro para fora. O resultado aparece a partir do segundo mês de tratamento e a melhora das estrias pode chegar a 50%.

Infravermelho + Ácido retinoico

Um aparelho com ponteira de cristal dispara raios infravermelhos que aquecem as camadas mais profundas da pele provocando a sua retração e produzindo mais células formadoras do colágeno e da elastina. Depois de 30 minutos o ácido retinoico é aplicado para estimular o aumento das fibras de sustentação da pele. Após os primeiros meses de tratamento o aspecto das linhas melhora entre 40% e 80% dependendo da largura da estria.

Luz intensa pulsada + Ácido retinoico

Aplicação da luz intensa pulsada, que promove a regeneração das estruturas da pele, além de tratar os vasos dilatados que dão a aparência avermelhada a estria. Após é aplicado o peeling de ácido retinoico, que otimiza a ação da luz. O resultado esperado são estrias mais uniformes e finas entre 30% e 80%.

Peeling de cristal + Ácido retinoico

O peeling de cristal libera jatos de pó de óxido de alumínio para esfoliar e facilitar a penetração do ácido retinoico que descama a pele e estimula a produção de colágeno. No final do tratamento há uma melhora de até 40% na textura das estrias, que também ficam mais claras.

Vitamina C + Luz intensa pulsada

A vitamina C a 22% é injetada com uma agulha fina na camada superficial da pele agindo nos vasos que dão a coloração avermelhada às estrias e estimula a aproximação das bordas. Em seguida, a luz intensa pulsada dispara uma energia que promove a contração da derme auxiliando o afinamento das linhas. A partir da quarta sessão os resultados começam a aparecer e no final do tratamento elas ficam até 60% mais claras e finas.

Colaborado por Patricia Brito | Fique de Boa