Fórmula para emagrecer

Fórmula para emagrecer - Fique de Boa
Fórmula para emagrecer - Fique de Boa

Toda hora vejo novas drogas e ‘soluções’ fantásticas prometendo ‘milagres’, que digam os SPAs que prometem e até conseguem este tal ‘milagre’ de 6/8 kg num só fim de semana ou ainda as milhares de lipos e cirurgias bariátricas de maneira desenfreada nas salas de alguns ‘especialistas’, o que ninguém diz é que ‘milagres’ não acontecem.

Tudo que se conquista de maneira correta tem um custo, nada é tão ‘simples’ assim! Pesquise e verá o insucesso em longo prazo das cirurgias e de quem vive seja de drogas ou de SPA e vai comprovar a veracidade dos fatos; a mudança deve ser de hábitos, ainda do metabolismo basal que é a quantidade de caloriasutilizadas pra manter seu corpo mantendo as necessidades primárias, de fatores socioeconômicos e culturais, da ‘cabeça’ mais do que do peso.

Muitos especialistas são contra o uso de certas drogas, bem como alertam para os excessos que muitos indivíduos sem informação prévia bem fundamentada vêm fazendo desses recursos. É bemcomum que uma pessoa que deseje emagrecer procure fármacos em busca de uma solução rápida, pensando que tomar “remédios” seja o necessário para alcançar o seu peso ideal achando que, se deu certo com um conhecido, dará também consigo. Várias pesquisas já mostraram que somente o uso de drogas para emagrecer não é suficiente para uma perda de peso permanente, saudável e eficiente. A obesidade é multifatorial e num plano para perda de peso devem estar em sinergia à mudança de hábitos alimentares, exercício físico e o apoio de médicos, nutricionistas e um profissional da área de atividade física. Para indivíduos com níveis elevados de obesidade ecomplicações de saúde, há uma forte indicação para o uso de drogas para a perda de peso.

Sugerimos também:  Sete vantagens da academia feminina

Somente médicos podem prescrever alguma droga para um indivíduo obeso, fundamentando sua escolha em rígidos critérios clínicos para a definição correta de qual medicamento usar, bem como qual paciente deve ou não se beneficiar desse tipo de tratamento, baseando sua decisão em evidências científicas comprovadamente seguras. O Royal College of Physicians da Inglaterra recomenda que medicamentos para emagrecer sejam usados somente para adultos com o IMC (Índice de Massa Corpórea) acima de 30 e que já tenha tido fracasso na perda de 10% de seu peso através da combinação de dieta, exercício e mudança de comportamento, ou seja, o primeiro passo para emagrecer é a administração correta de calorias diárias, exercíciosfísicos e mudança de hábitos.

O Consenso Latino-americano em Obesidade preconiza que o tratamento para emagrecer feito com medicamentos pode ser aplicado quando o IMC for igual ou maior que 30, igual ou maior que 25 se acompanhado com outros fatores de risco como hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo II, dentre outras doenças ou quando o tratamento convencional de dieta combinada com exercícios não obteve êxito. Preconizam-se ainda pontos fundamentais para a indicação da farmacoterapia em obesidade de modo que a medicação não deve ser o único meio de tratamento, devendo estar associada à dieta e exercícios, deve também estar focada para o tratamento geral do paciente e não exclusivamente para a redução de peso, sempre deve ser prescrita e acompanhada por um médico.

Os fármacos para o combate da obesidade se dividem em três grupos principais, de acordo com o seu principal modo de ação, atuando sobre o sistema nervoso central modificando o apetite ou a conduta alimentar, sobre o metabolismo, incrementando a termogênese (com produção de calor e maior consumo de calorias), e sobre o sistema gastrointestinal diminuindo a absorção de gorduras. Dieta e exercícios físicos são de suma importância devendo estar fortemente inclusos no tratamento, para que quando ocorra suspensão gradual do medicamento, o novo peso seja mantido.

Sugerimos também:  Kettlebell, muito exercício em pouco tempo

Podem-se ressaltar ainda alguns dos efeitos nas pessoas que utilizam destes medicamentos, sendo os principais: boca seca, insônia, taquicardia, ansiedade, sudorese, eventual aumento da pressão arterial, cefaléia, sonolência, diminuição da libido, aumento do ritmo intestinal, constipação, gastrite, entre outros. Daí a necessidade da realização de estudos clínicos bem controlados e bem desenhados para a real comprovação da eficácia e da isenção de efeitos colaterais mais graves. Sabemos que todos sonham em obter uma fórmula milagrosa, mas toda a grande mudança vem diante dadisciplina, dieta bem administrada, programa de treinamento bem elaborado e algumas restrições essenciais para o alcance do objetivo.

Entender principalmente que da mesma forma que você passou um tempo engordando vai ter que esperar o tempo certo pra emagrecer, poissegundo a Organização Mundial de Saúde seria ideal perder cerca de 700/1.100kg de gordura conservando ou tendo aumento de massa magra a cada ciclo de sete dias para que desta forma se estabeleça um novo ponto de equilíbrio corporal. Sendo assim nunca desista! A cada dia vença as tentações de ter um ‘prazer’ momentâneo por algo maior que é de chegar onde você estabeleceu, saiba sempre que tudo tem solução e que tem muitas pessoas desejando te ajudar, mas que você deve ser o primeiro a fazer por você mesmo, ainda saiba que sua verdadeira beleza é ser belo de dentro pra fora, que o conceito de beleza é pessoal e seu maior dom está em ter saúde mental e física.

Alexandry Mangueira Cref.001677

1 COMENTÁRIO

  1. Gostei demais do artigo, principalmente quando você fala no final que o mesmo tempo que demoro para engordar, demoro para emagrecer, isso faz total sentido é preciso ter paciência para conseguir ter um bom resultado com consistência, obrigado pelo ótimo conteúdo.

RESPONDER

Por favor escreva seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui