Malhar demais pode se transformar em vício

Malhar demais pode se transformar em vício
Malhar demais pode se transformar em vício

Praticar atividades físicas faz bem para o corpo e para a saúde, mas pode acabar se transformando em um vício. A psicóloga Karyne Mariano Lira Correia, da Clínica Livon, em Joinville (SC), explica que ainda não há no Brasil um conjunto de aspectos bem definidos sobre o vício em fazer exercício físico. “É algo que vem sendo estudado, mas sem um consenso sobre em que categoria de transtornos encaixar”, diz.

Por isso, não há ainda uma definição dos comportamentos padrões que identifiquem uma pessoa viciada em malhar. Mas algumas características podem ser observadas, como, por exemplo, pessoas que ficam perturbadas quando estão sem malhar. “Para que um comportamento seja considerado um vício, são necessárias pelo menos duas características: ele precisa se repetir constantemente e, na impossibilidade de emitir esse comportamento, a pessoa experimenta uma espécie de abstinência”, explica a psicóloga.

Sugerimos também:  Dormir pode ser mais eficaz do que malhar

Alguns estudiosos brasileiros consideram que esse vício, também chamado de ‘vigorexia’ por alguns profissionais, seja produto do chamado Transtorno Dismórfico Corporal (TDC), que ocorre quando há uma percepção negativa da autoimagem corporal. “O desenvolvimento adequado da autoimagem é uma grande fonte de prevenção para evitar problemas como esse. A pessoa pode perceber-se muito magra, com musculatura pouco desenvolvida ou flácida, ainda que essa percepção não seja adequada. A relação entre vício de malhar e a busca do corpo perfeito é muito íntima”, explica.

Além dos transtornos psicológicos, a prática excessiva de atividade física e as restrições alimentares a que algumas pessoas com esse tipo de problema se submetem podem gerar também problemas físicos, prejudicando a saúde e o corpo.

Sugerimos também:  Malhar muito em pouco tempo pode trazer riscos ao coração

A psicóloga diz que é importante procurar ajuda assim que se percebe que algo está errado na relação com a prática de atividade física. “Quanto mais cedo se trata um problema, mais fácil é solucioná-lo. Neste caso, é importante buscar atendimento psicológico e orientação especializada de um educador físico. Dentro dos aspectos psicológicos envolvidos, é possível a pessoa aprender a lidar melhor com a vida e consigo mesma”, afirma.

Fonte Itodas| Fique de Boa

RESPONDER

Por favor escreva seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui