Treino de 1 minuto (método Gibala) descubra como funciona

Artigo relata conversa com o pesquisador canadense Martin Gibala, um dos defensores do chamado Treinamento Intervalado de Alta Intensidade

Treinos curtos (de 20 minutos em média), intensos, com pequenas pausas, como o HITT (High Intensity Interval Training ou Treino Intervalado de Alta intensidade), estão se espalhando nas academias. Mas e os de sete, seis, quatro, três e até um minuto, surtem efeito? Para o cientista Martin Gibala, da universidade McMaster, em Ontário, no Canadá, eles são atraentes, exigem esforço e podem sim serem benéficos. As informações são do site do “The New York Times”.

Não acho que temos como provar que um exercício é substancialmente melhor

Segundo a publicação, alguns atletas têm usado as sessões intervaladas como parte de um programa semanal para melhorar o desempenho, mas Gibala conta que podemos confiar mais nessa ideia como único exercício enquanto ainda estamos melhorando a nossa saúde e força física. Com diversos estudos publicados sobre o tema desde 2004, o canadense escreveu um novo livro, chamado “the one-minute workout” (treino de um minuto), onde ele destrincha a sua pesquisa e fornece dados diferentes para essa questão polêmica sobre intensidade e descanso.

As pesquisas foram feitas em bicicleta ergométrica, mas o métodos pode ser adaptado para Grande parte das pesquisas de Gibala foram feitas em bicicletas ergométricas, mas ele ressalta que o método pode ser perfeitamente adaptado a outras modalidades, como a corrida e subidas em escadas. Questionado se esse treino intenso e de curta duração é melhor que os tradicionais ou mais lentos – como é na musculação – ele preferiu defender o conceito de eficiência do HIIT.

Sugerimos também:  Treino bombado com músculos sadios

Não acho que temos como provar que um exercício é substancialmente melhor, isso do ponto de vista fisiológico. Ambos melhoram a saúde. Mas um é mais eficiente quanto ao tempo. Então, se o obstáculo para se exercitar for o tempo, o HIIT é a opção preferida. Acho que quase todos podem encontrar alguns minutos em seu dia para uma atividade física mais enxuta – afirmou.

É mais fácil cortar calorias do que queimar um grande número delas. Com o HIIT, existem evidências de que a pessoa desenvolve ligeiro aumento do metabolismo pós-treino

Uma das principais características do método de HIIT proposto por Gibala é sair da zona de conforto com um descanso maior e um tempo maior em alta intensidade. É uma adaptação adequada para pessoas mais destreinadas. Mas será que queima mesmo mais calorias?

Sugerimos também:  Aprenda a acrescentar exercício físico à rotina

Em geral, é muito mais fácil cortar calorias na dieta do que queimar um grande número delas com exercícios de qualquer tipo. Com o HIIT, existem evidências de que a pessoa desenvolve ligeiro aumento do metabolismo pós-treino. O que significa que por até 24h após uma sessão você ficaria queimando calorias como se estivesse se exercitando. Mas os números ainda são pequenos. Se perder peso é a sua meta, o melhor mesmo é comer menos – destacou Gibala.

Mas, afinal de contas, existe um limite de treino possível que traga benefícios às pessoas? Acho que um minuto de treino é o limite. Nós estamos procurando o ponto exato em termos de quanto esforço intenso as pessoas podem fazer e ainda obter benefícios significativos de saúde e forma física. Até o momento, fazer três repetições intervaladas de 20 segundos é a carga efetiva mais baixa que vimos. Mas isso é algo que ainda estamos testando – encerrou o pesquisador.

Colaborado por Daniella Campos | Fique de Boa

RESPONDER

Por favor escreva seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui