Termogênicos podem custar caro á saúde

Termogênicos podem custar caro á saúde
Termogênicos podem custar caro á saúde

Nas academias não se fala em outra coisa. Tem sempre alguém que conhece alguém que começou a tomar cápsulas de cafeína ou chá-verde e emagreceu horrores. E você fica louca para experimentar. Afinal, são suplementos naturais que não fazem mal à saúde, certo? Em termos. Tanto o café quanto o chá-verde ou branco e também o guaraná em pó, o cacau, a maçã, o gengibre, a pimenta e a canela, entre outros, são alimentos termogênicos. Ou seja, aumentam o metabolismo e a temperatura interna do corpo, fazendo com que a gente queime mais calorias. Ajudam, sim, na perda de peso. Mas também podem fazer mal.

Dor de cabeça, insônia, pressão alta, enjoo, taquicardia, falta de ar e problemas gastrointestinais são algumas das consequências do mau uso dos termogênicos – também conhecidos como “queimadores de gordura”. Se a ideia é usar esse tipo de alimento ou suplemento para emagrecer, melhor fazer isso com a ajuda de um especialista. Não só para saber qual a quantidade ideal para estimular a queima de gordura, como também para evitar efeitos colaterais indesejados.

A nutricionista funcional paulistana Sheila Mustafá costuma prescrever dieta com alimentos funcionais combinada a suplementos termogênicos que ela manda fazer nas farmácias de manipulação. Por exemplo: uma xícara de chá de gengibre com uma cápsula com chá-verde e cacau, mistura que também tem ação antioxidante. “O importante é que o suplemento seja natural, feito só como princípio ativo dos alimentos e numa dosagem segura, específica para cada pessoa”, pontua. Segundo ela,o principal problema dos suplementos vendidos em farmácias e lojas especializadas é justamente a alta dosagem.

Sugerimos também:  Por que carboidrato 'dá barriga'?

Uma pessoa já predisposta pode sofrer uma parada cardíaca ou um acidente vascular cerebral se tomar, por exemplo, mais de 400 gramas de cafeína ou 500 gramas de chá-verde por dia. Hipertensos ou portadores de doenças cardiovasculares devem evitar os termogênicos, até mesmo em forma de alimentos, ervas e especiarias.

Se não dá para abusar, usar em pequenas quantidades ou esporadicamente pode não fazer o efeito desejado – ou efeito algum. Os termogênicos devem ser consumidos regularmente acompanhados de uma dieta ou rotina de exercícios (melhor os dois, claro). Sozinhos não fazem milagre. “Mas são grandes aliados do emagrecimento, porque também aumentam a disposição. Além de estimular o organismo a usar a gordura como fonte de energia durante a malhação”, explica Isabella Correia, nutricionista funcional, ortomolecular e esportiva da clínica da carioca Patrícia Davidson Haiat.

Sugerimos também:  Entenda o implante dentário

Para quem não faz nenhuma atividade física, Isabella inclui na dieta diária gengibre, canela, café e chá-verde para ajudar na perda de peso. Já para os pacientes que malham, ela costuma receitar também suplementos à base de cafeína, pimenta ou chá-verde em doses baixas. O ideal é consumir os termogênicos meia hora antes da atividade física. Já quem treina à noite deve evitá-los para não perder o sono.

No Brasil, a maioria dos suplementos termogênicos tem cafeína na fórmula, e o organismo se adapta facilmente a essa substância. Resultado: com o tempo deixa de fazer o efeito desejado e aí começa o perigo! “A pessoa passa a aumentar a dosagem do produto para continuar perdendo peso. Daí para sentir mal-estar é um passo. A diferença entre remédio e veneno é a dosagem”, alerta a endocrinologista e nutricionista Silvia Bretz, que não costuma recomendar o uso desse tipo de suplemento justamente pelo perigo da automedicação.

Fonte Vogue | FiquedeBoa

RESPONDER

Por favor escreva seu comentário
Por favor entre com seu nome aqui